HÁ SEMPRE UM LIVRO...à nossa espera!

Blog sobre todos os livros que eu conseguir ler! Aqui, podem procurar um livro, ler a minha opinião ou, se quiserem, deixar apenas a vossa opinião sobre algum destes livros que já tenham lido. Podem, simplesmente, sugerir um livro para que eu o leia! Fico à espera das V. sugestões e comentários! Agradeço a V. estimada visita. Boas leituras!

My Photo
Name:
Location: Norte, Portugal

Bibliomaníaca e melómana. O resto terão de descobrir por vocês!

Thursday, January 31, 2008

“Uma Caligrafia de Prazeres” de António Mega Ferreira com desenhos de Fernanda Fragateiro (Texto)


As belíssimas aguarelas de Fernanda Fragateiro ilustram as crónicas de António Mega Ferreira, num livro onde conseguimos extrair a fruição do prazer estético proporcionado pelos sentidos e pelo apurado conhecimento do Autor acerca do melhor que a vida pode oferecer. Trata-se de um livro que nos faz viajar pelo mundo das coisas belas, que se dão a conhecer através de um helenístico e apolíneo sentido de harmonia.


A pulsão que levou António Mega Ferreira a escrever as suas crónicas num formato semelhante ao de um guia turístico foi a necessidade de partilha. Isto porque, na sua óptica, “àqueles a quem a vida não tem sido madrasta, cabe uma boa parte da responsabilidade em tentar perceber o que foram os seus prazeres”

As crónicas de Uma Caligrafia de Prazeres estão divididas em secções intituladas de O que se vê, O que ouve, O que se sente e Como se está.

O autor foi, assim, escrevendo aquilo que lhe ia surgindo ou “…saltando, semana após semana (…) gestos, momentos, circunstâncias; o que me dava prazer era escrever sobre o que, à margem dessa abordagem racional ou abrangente do leque dos prazeres vividos, aparecia na esquina das minhas recordações”.

Relativamente à classificação, o Autor esclarece que: “Para os prazeres (…) não há catálogo possível: estes são a sua narração, e as palavras que os descrevem (…). Os prazeres não se deixam catalogar, porque, o melhor que podemos fazer com eles é não desesperar de os encontrar (…) quando menos estamos à espera”.

O que se vê na caligrafia de prazeres de A. Mega Ferreira é tudo o que cativa o olhar, as sensações visuais, o que, tanto poderá ser um quadro, as cores, a intensidade e as variações de luz numa dada paisagem, a arquitectura de um edifício ou as gentes de um país distante. O resultado é um mosaico constituído pelos mais belos locais do mundo onde, pela voz do autor, podemos apreciar algumas das maravilhas criadas pela mão ou pelo poder de criação do Homem. Deliciamo-nos então, a efectuar uma caminhada imaginária por lugares como Praga, Marraquexe, Nova Iorque, Paris – onde entramos propositadamente no Louvre para descobrir, por exemplo, o mistério do sorriso mais enigmático do mundo – , o eterno encanto do legado deixado pelos Gregos da antiguidade clássica, o romantismo de Veneza e a nostalgia evocada na ponte do Rialto.

A vontade que nos desperta a leitura destas crónicas é a de correr para o aeroporto e percorrer o roteiro sugerido por esta obra magnífica à semelhança de Phyleas Fogg e fazer a nossa própria “volta ao mundo em 80 dias”…

Passamos a O que se sente…ou se degusta.

Desde Um grande Amor, despoletado ou catalizado pelo sabor enfeitiçante de uma garrafa de Esporão – o qual assume o papel de elixir do amor – a toda uma panóplia de memórias evocadas através dos sabores: o chá, o café, um polémico leite-creme, o chocolate, o anti-politicamente correcto prazer de saborear um cigarro, os gelados e as melhores gelatarias…numa prosa em que quase que sentimos os sabores, voluptuosamente descritos.

Segue-se o tempo dedicado à música com O que se ouve. E, aqui, delicio-me a encontrar uma descrição que quadra perfeitamente com a forma como aprecio a música de Vivaldi, e que (re)descubro o segredo do encanto de vozes como a de Ella Fitzgerald, Diane Scheuer, da música de Cole Porter, Duke Ellignton ou George Gershwin e me detenho num magnífico texto sobre Callas… seguem-se Bach, Mozart e a voz de Kathleen Ferris a interpretar Schubert, Gluck ou Brahms, o que me impele a correr para a Internet na tentativa de captar ou tentar ouvir as versões descritas, uma vez que não há a possibilidade de conseguir todos os CD’s de uma assentada. A secção dedicada à música e aos prazeres da audição termina com uma homenagem a Claudio Monteverdi, il divino Claudio, o grande impulsionador do teatro lírico na Europa tal como o conhecemos hoje em dia.

Passamos à rubrica Como se está, uma eclética amálgama de pequenos prazeres ou, se quisermos, um pequeno roteiro, semelhante a um mapa do tesouro, cujas pistas vamos desvendando e percorrendo passo a passo – desde os melhores restaurantes, hotéis, lembranças evocadas a partir da escrita de Pessoa ou Thomas Mann ou Ballester; a sensação de conforto ao calçar um sapato de qualidade excepcional; o prazer de falar a língua Natal, dentro ou fora do País; a exuberância do espectáculo das fogueiras de S. João na estrada entre Caruaru e Recife e, finalmente, o prazer de coleccionar um acessório que identificado com a vaidade masculina por natureza (ou, mais propriamente, pela cultura ocidental): a gravata. E, por último, o prazer maior, a liberdade de fazer o que se gosta, de não ter obrigações.

Todas as crónicas estão acompanhadas pelas belíssimas ilustrações da pintora Fernanda Fragateiro, que executa de forma magnífica a interpretação visual, numa perfeita conjugação de símbolos, em articulação com os textos de um cronista com a alma de um ateniense do século de Péricles.

Uma oferta preciosa.


Cláudia de Sousa Dias

33 Comments:

Blogger Nilson Barcelli said...

Já li algumas coisas do Mega Ferreira, que tem uma cultura tão alargada e profunda que aborda inúmeros temas sem qualquer dificuldade, numa linguagem simultaneamente erudita e clara.
Esta publicãção, por isso, só pode ser de grande qualidade.

Beijinhos.

11:38 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

è uma obra belíssima, tanto em termos visuais quanto em termos de prosa.

Foi uma espectacular prenda de Natal.


CSD

1:37 PM  
Blogger Luís Alves de Fraga said...

Será que arranjo tempo para a ler? Tenho tantos ensaios à espera de vez!!! Mas guardo a sugestão.

9:53 AM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

Este é um livro pequenino...

:-)

Lê-se de uma assentada!


CSD

4:44 PM  
Blogger Elipse said...

e não achas que pessoas como o Mega Ferreira compõem livros destes por pura presunção?
desculpa a pergunta, gostei da tua apreciação mas ficou-me a ideia de exibicionismo do autor.

10:18 PM  
Blogger Bandida said...

sempre excelente no que fazes.
sempre atenta.

beijo cláudia.


B.

11:42 PM  
Blogger un dress said...

desta vez sim...

procuro na próxima FNAC!

li dele algumas coisas...

de repente lembro-me de um título

estranhíssimo

"o heliventilador de resende"

corrige-me se não for...:)




.beijO

1:18 AM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

Elipse, minha querida, poderá até ser, mas não sei se é o caso...

De qualquer forma, a suprema qualidade da obra torna a motivação irrelevante.

Até porque somos todos nós um bocadinho vaidosos em relação ao nosso intelecto, não somos?

se não, também não publicávamos...

:-)

Beijo grande


CSD

12:40 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

Bandida, és um doce!


CSD

12:41 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

Vais adorar, Un Dress!

Desse título não me lembro...não está incluído na obra de certeza...

Bjo


CSD

12:43 PM  
Blogger Luís Galego said...

a necessidade de partilha...

é isso que tambem aqui acontece...

4:29 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

É esse o objectivo...

Embora este meu texto não seja dos melhores,não consegui fazer passar para o "papel" o facto de cada crónica remeter para um episódio para um momento evocado na memória, onde cada momento recordado evocado, se associa não só a um instante de uma intensa fruição estética, mas que também transporta em si uma forte carga afectiva...


CSD

5:41 PM  
Blogger Baudolino said...

Também confesso algum preconceito inicial, tempos atrás, relativamente ao autor. Recorrendo ao procedimento metodológico de separar autor e texto, o problema tendeu a resolver-se. A ilustradora potencia a expectativa!
Abraço
P.

7:41 PM  
Blogger totoia said...

Mais uma sugestão que me agrada. Adoro o título!

1:17 AM  
Blogger isabel mendes ferreira said...

E PRONTO. é hoje.

passo "kilos" de vezes por aqui.

leio.
re.leio.
tres-leio.

e saio. sempre no mais recatado silêncio.

excepcionalmente deixo hoje um rasto. não para que me siga.
apenas para saudar este espaço de leitura onde o bom gosto e o cuidado de análise se casam.

continuarei a passar.


discretamente.


abraço.


cordial.

________________.

4:03 PM  
Blogger Dalaila said...

Goisto muito de António Mega Ferreira, este não conheço

Beijinho

5:26 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

Sem dúvida que sim, Baudolino.

As aguarelas são de excelente qualidade.sobretudo pela interpretação simbólica que faz dos textos.

Quanto á primeira parte do teu comentário, às vezes acontece...

Por exemplo, nunca imaginei a Carla Bruni, como compositora ou cantora...

...ou, já agora como primeira dama!

No entanto...


;-)

CSD

7:46 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

Um beijo, isabel!

E obrigada.


:-)


CSD

7:58 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

Então vais adorar, Dalaila!

beijo grande


CSD

7:59 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

è verdade que é um título sugestivo...assim como a escrita...!

bjo grande


CSD

8:05 PM  
Blogger -pirata-vermelho- said...

Estródinárielipse de pruspicássias!


(É isso mesmo)

11:29 PM  
Anonymous quicas said...

Lido o seu texto, fica-se ávido de "degustar" os esses "prazeres" que nos propõe, da caligrafia de Mega Ferreira ilustrados pela Fernanda Fragateiro...
Devo-lhe mais esta urgência!

1:17 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

Fico feliz por haver divergência de opinião...!

É que ao contrário do que possa parecer à primeira vista, só credibiliza o blog.


:-)

Abraço a todos, especialmente à Elipse e ao Pirata!

Amanhã haverá novidades!

bjo


CSD

3:26 PM  
Blogger Claudinha said...

Olá menina, estou de volta! Não conheço nada deste autor, apesar de ler muito e sempre. Mas sua crítica é cativante e nos faz aguçar a vontade de conhecer! Um beijo!

10:47 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

Bem-vinda de volt Claudinha!

Espero que as férias tenham sido em Grande!

Um beijo


CSD

6:26 PM  
Blogger Roberto said...

Buon inizio di settiana Claudia e grazie per le parole sempre belle che mi lasci nei commenti.
Baci
Roberto

9:08 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

Grazie Roberto!

un bacio.

CSD

11:35 AM  
Blogger Rui said...

Caligrafia de prazeres, encontramos aqui.

Vou guardar a ideia de oferecer como prenda. Parece-me excelente.

4:52 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

E grands amigos fazem-se aqui neste blog...!

um beijo


CSD

11:45 PM  
Blogger Guilherme Montana said...

Como a indicação de livros é uma das premissas deste blog, vou lhe sugerir um.

"A Vida Breve", de Juan Carlos Onetti. Aqui no Brasil é publicado pela Editora Planeta.

Acredito que vá gostar. Dos livros que conheço, é o que, até agora, apresentou a melhor estilística narrativa, muito original.

Abraços!

1:28 PM  
Blogger Claudia Sousa Dias said...

Vou ler logo que consiga descobrir a editora aqui em portugal...

Lihá tempos um com o mesmo título mas de autoria de Jostein Gaarder...

Beijo


CSD

9:43 PM  
Anonymous Concurso BiblioFilmes said...

Parabéns pelo blogue.

Agradecíamos que pudesse divulgar junto dos seus visitantes o Concurso de vídeos no YouTube "Biblio Filmes: Livros, Bibliotecas, Acção!".

Chamava tb a atenção para a iniciativa blibie, para os melhores blogues de livros, em que este seu blogue poderia ser uma excelente nomeação.

O QUÊ?
O concurso BiblioFilmes pretende lançar um desafio à Comunidade da Língua Portuguesa a fazer um "filme" (em vídeo ou telemóvel) a contar a sua história e provar o quanto gostam de ler, da sua biblioteca e/ou livros.

PARA QUEM?
Professores, Alunos, Funcionários de Bibliotecas, ... - na verdade, qualquer pessoa que goste da sua Biblioteca (Pública, Escolar, privada).

Todos estão convidados a fazer um vídeo sobre a sua biblioteca preferida e/ou livro!

QUANDO?
Realização e envio dos filmes- até 2 de Abril de 2008 (Dia Internacional do Livro Infantil) Período de votações- até 23 de Abril (Dia Mundial do Livro), em que serão anunciados os vencedores.

PARA SABER MAIS?
Visitem o nosso blogue http://bibliofilmes.blogspot.com ou o sítio oficial em http://BiblioFilmes.com

11:10 PM  
Blogger Elipse said...

cláudia, não percebi o que é isso das entrevistas.
explica-me para o email que está associado ao Palavras em Linha. (acho que o antigo já não funciona)

11:22 PM  

Post a Comment

<< Home